20/09/2017

Estadão: Alimentação prática
Alternativa para consumir frutas, suco em caixinha pode manter qualidade nutricional sem a necessidade do uso de conservantes

A recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS) é clara. Todas as pessoas devem consumir 400 g de frutas e hortaliças variadas ao longo do dia, o que equivale a cinco porções diárias. “Desse total, pelo menos três devem ser de frutas, que são ricas em diversos nutrientes, como minerais, fibras, antioxidantes e vitaminas. O consumo adequado auxilia o metabolismo, fortalece as células, previne e trata doenças”, explica a nutricionista Catarina Stocco, diretora de uma clínica de nutrição funcional. Infelizmente, porém, apenas 24,4% dos brasileiros atingem a recomendação da OMS, de acordo com o ministério da Saúde.

As frutas podem ser consumidas in natura ou na forma de suco – e aqui surge uma complicação. Os que são feitos em casa, segundo a nutricionista, devem ser consumidos preferencialmente nos primeiros 20 minutos. Depois disso, a exposição ao ar e à luz oxida a bebida, reduzindo seus benefícios à saúde. Nesse contexto, os sucos em caixinha, produzidos de forma a preservar o sabor e qualidade do alimento por mais tempo, são uma alternativa prática e segura.

Segurança e nutrientes preservados
De acordo com a pesquisadora Eloísa Garcia, vice-diretora do Instituto de Tecnologia de Alimentos (Ital) da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, os sucos em caixinhas apresentam diversas vantagens. Como a bebida é embalada em ambiente asséptico e passa por um tratamento térmico que conserva o produto dispensando a necessidade de conservante, não existe o risco de contaminação por fungos, por exemplo. “Esse tipo de envase também permite que a bebida não estrague, mesmo fora da geladeira”, afirma Eloísa.

Leia a matéria completa no portal do jornal O Estado de S. Paulo:

http://patrocinados.estadao.com.br/tetrapak/2017/09/19/alimentacao-pratica/