06/07/2017

ITAL participa da Fispal Tecnologia e lança livros

A 33ª Edição da Fispal Tecnologia – Feira Internacional de Tecnologia para a Indústria de Alimentos e Bebidas, em São Paulo, contou com participação da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, por meio do Instituto de Tecnologia de Alimentos (ITAL), responsável pela abertura oficial.

O ITAL abriu o evento no Fórum Fispal Tecnologia, com a palestra: “A confiança do consumidor brasileiro nos alimentos e bebidas industrializados”, ministrada por Raul Amaral, coordenador da Plataforma de Inovação Tecnológica do ITAL; e com o painel sobre “A importância dos alimentos processados para a sociedade brasileira: principais desafios e oportunidades de inovações”, comandado por Luis Madi, diretor-geral do Instituto.

“Essa foi a 33ª feira e o ITAL está todos esses anos falando sobre isso. A missão do nosso Instituto é atender a demanda da sociedade. Temos vários trabalhos orientados às indústrias. É preciso discutir e integrar o setor de alimentos, bebidas e embalagens no Brasil. Temos evoluído ao longo do tempo e trazendo cada vez mais profissionais para participarem conosco, como na Conferência Mundial de Embalagem em 1993; a Plenária de 2012 com os presidentes das empresas; depois o lançamento do Brasil Processed Food 2020 em 2015. E finalmente agora estamos falando sobre a importância dos alimentos processados”, declarou Luis Madi.

Raul Amaral enfatizou três pontos fundamentais para as indústrias: o desafio de comunicar-se com clareza junto ao consumidor, a adequação de aspectos regulatórios do setor e a construção harmoniosa de políticas esclarecedoras que possam melhorar a qualidade de vida da população.

“É preciso um trabalho integrado para orientar o consumidor sobre a importância dos alimentos industrializados com base em estudos, não em crenças e mitos. Saber a origem do alimento é fundamental, todos deveriam ter essa preocupação. Entender o que é melhor, adaptar os alimentos, tudo isso é importante, desde que o consumidor se apoie em órgãos, instituições e/ou empresas idôneas que processem alimentos funcionais e seguros. Não podemos acreditar em qualquer fonte”, destacou.

Durante o debate, o presidente da Associação Brasileira das Indústrias de Refrigerantes e de Bebidas não Alcoólicas (ABIR), Alexandre Jobim, colocou a importância de desmistificação no Brasil e no mundo. “Há necessidade de informar mais e melhor o consumidor e oferecer ainda mais opções para que ele tome suas decisões, inclusive modernizando a rotulagem como exemplo de evolução para que ele tenha informações ainda mais claras sobre os produtos que não são nocivos, como também não são os vilões da obesidade, por exemplo. É preciso contemporizar as situações: sedentarismo, estresse, e não colocar a culpa nos produtos”, afirmou. 

Diante disso, o ITAL aproveitou para apresentar o livro “Alimentos Industrializados”, produzido pela Plataforma, que contém informações confiáveis, elaboradas por pesquisadores científicos, para auxiliar a sociedade com conteúdo seguro. “Queremos orientar os consumidores e por isso a publicação terá formato online para facilitar o acesso além da linguagem simplificada”, acrescenta Madi. O livro estará disponível a partir do segundo semestre pelo website: www.alimentosprocessados.com.br

O painel contou também com a presença de nomes renomados e importantes para o desenvolvimento do setor como: Claudio Zanão, presidente da Associação Brasileira das Indústrias de Biscoitos, Massas Alimentícias e Pães e Bolos Industrializados (Abimapi); Rubens Barbosa, presidente da Associação Brasileira da Indústria de Trigo (Abitrigo) e ex-embaixador do Brasil nos Estados Unidos; Andréa Mota, diretora de Categorias da Coca-Cola Brasil; Laerte Moraes, diretor sênior de Ingredientes Alimentícios América Latina da Cargill; Marcelo de Proença Cury, diretor de Food Service da Marfrig; Pedro Gonçalves, diretor de Marketing da Tetra Pak; e Ricardo Selmi, presidente da Selmi Alimentos.

Durante a Fispal também foi realizado o seminário Beverage Innovation Summit, ocasião em que o ITAL fez o lançamento do livro “Brasil Beverage Trends 2020”, realizado pelo Instituto em parceria com a ABIR. A obra traz o panorama atual e as tendências de diferentes categorias de bebidas não alcoólicas no Brasil e no mundo.

Alexandre Jobim destacou que o setor deve buscar sempre o diálogo com governo e sociedade para garantir mais transparência, informação e soluções efetivas.

Com relação à obesidade, Jobim afirmou que se trata de algo multifatorial. “A obesidade precisa ser analisada em toda a sua amplitude sem tornar vilão um ou outro produto. E taxar as bebidas açucaradas não é a solução. As experiências internacionais nos mostram isso”, ressaltou. Ele também reforçou as diretrizes de marketing responsável e o início do monitoramento pela KPMG dos compromissos firmados pela indústria de bebidas não alcoólicas. “Em breve, teremos relatórios precisos e poderemos analisar melhor nossas ações, garantindo assim uma informação cada vez mais responsável”.

O evento contou ainda com apresentação do caso LACFREE, pelo diretor de operações da Coca-Cola Brasil, Arlindo Curzi Junior; e sobre bebidas funcionais com microencapsulação e nanotecnologia, pelo diretor comercial da Ultrapan, Marcelo Musumeci.

“Há necessidade de informar cada vez mais a sociedade. Nesse sentido, se faz importante e essencial que nossos institutos participem de eventos como este para ajudar neste processo. É uma preocupação da Pasta o benefício da sociedade, e informação correta e alimento seguro são parte dessa solução, como sempre nos orienta o governador Geraldo Alckmin”, finaliza Arnaldo Jardim, secretário de Agricultura do Estado de São Paulo.