19/04/2017

ITAL promove capacitação das vigilâncias sanitárias no Sul do Brasil

A Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, por meio do Instituto de Tecnologia de Alimentos (ITAL), realizou um curso de capacitação das vigilâncias sanitárias dos estados de Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Paraná para inspeção de empresas fabricantes de embalagens plásticas destinadas para alimentos.

O curso, realizado em Florianópolis, foi organizado pela Diretoria de Vigilância Sanitária de Santa Catarina e ministrado pelas pesquisadoras Aline Brionisio Lemos e Danielle Ito, ambas do Centro de Tecnologia de Embalagem (CETEA) do ITAL.

As pesquisadoras conduziram as atividades com, aproximadamente, 35 servidores que tiveram a oportunidade de aprender sobre os materiais usados na fabricação de embalagens para alimentos, os processos de fabricação de embalagens, a legislação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) de materiais para contato com alimentos e as boas práticas de fabricação aplicáveis à indústria de embalagens para alimentos. Além de aulas teóricas e dinâmicas de grupo, foi feita uma visita guiada a uma empresa fabricante de embalagens plásticas da região para consolidar os conhecimentos adquiridos.

As pesquisadoras reforçaram que a embalagem não deve ser uma fonte de contaminação química, física ou microbiológica e, para isso, deve existir uma corresponsabilidade entre cada elo da cadeia produtiva (fabricantes de matérias-primas, de embalagens e usuários destas) e entre as vigilâncias sanitárias que têm a função, muitas vezes de orientar, além de realizar as inspeções nas indústrias.

O ITAL e o CETEA participam desse processo de várias maneiras, realizando pesquisa, prestando assistência tecnológica e difundindo o conhecimento técnico-científico, sempre em benefício da sociedade. O Centro de Tecnologia de Embalagem, como referência na área de embalagens, possui um grupo de pesquisadores especializados em legislações de materiais de embalagens para contato com alimentos que auxilia as empresas a adequarem suas embalagens de acordo com as exigências de cada regulamento, inclusive quando se trata de exportação.

“Iniciativas como essa tomada pela Diretoria de Vigilância Sanitária de Santa Catarina são importantíssimas, pois a integração entre indústrias de embalagens, vigilâncias sanitárias e institutos de pesquisa contribui muito para que o alimento que chega à mesa do consumidor seja cada vez mais seguro. E segurança é uma das prioridades da nossa pasta, orientada pelo governador Geraldo Alckmin”, declarou Arnaldo Jardim, Secretário de Agricultura de São Paulo.