10/07/2019

feed&food | Educação ambiental: um desafio atual
Mercado de embalagens, por exemplo, passa por uma fase de transformações

Há uma necessidade mundial urgente em relação ao consumo consciente e sustentável. Recentemente, houve um movimento ao redor do globo para a retirada dos canudos de plásticos, e diversas redes abraçaram a causa, a exemplo do Starbucks e McDonald’s. Entretanto, apesar desse engajamento coletivo, o banimento não soluciona o problema, porque não há uma resposta simples. Essa leitura é da diretora geral do Instituto de Tecnologia de Alimentos (Ital), Eloísa Elena Corrêa Garcia, no qual enxerga que o maior desafio desse momento está na educação para o descarte correto, logística reversa e gerenciamento integrado do resíduo sólido urbano. “Todos nós somos causadores da poluição, mas podemos viabilizar a solução”, relata.

Eloísa especializou-se em embalagens plásticas e soma 35 anos de carreira no Ital. Segundo ela, é evidente que há muitas ações viáveis para reduzir o volume de lixo plástico e favorecer a revalorização do resíduo pós-consumo. “Por isso, precisamos nos conscientizar a respeito do consumo sustentável, o que significa evitar excessos”.

Dentro desse contexto, o Centro de Tecnologia de Embalagem (Cetea), do Ital, trabalha participando de comissões dentro das associações setoriais e desenvolvendo projetos em conjunto com as empresas ou com agências de fomento para Avalição de Ciclo de Vida (ACV) de embalagens e de produtos acondicionados. “Também aplica a ferramenta “Pensar no Ciclo de Vida” para avaliar o potencial e a validade de melhorias propostas, auxilia no desenvolvimento de produto com menor impacto ambiental e valida a rotulagem ambiental de produtos”, explica a pesquisadora do Ital e gerente de Interação e Conformidade de Embalagens do Cetea, Fiorella B. H. Dantas.

Confira a matéria completa