20/05/2019

Produção e consumo de alimentos e bebidas são destacados pelo Ital na Apas Show 2019
A qualidade dos produtos brasileiros foi abordada em palestra para visitantes nacionais e estrangeiros

 

Considerado o maior evento de supermercados do mundo e maior feira de alimentos e bebidas da América Latina, a Apas Show 2019 recebeu 106.557 visitações entre 6 e 9 de maio, 23,8% a mais do que na edição anterior, e 847 empresas expositoras, sendo 222 internacionais, de 19 países, ultrapassando US$ 330,5 milhões em negócios. E foram justamente os estrangeiros o foco do International Business Meeting Apas, a primeira atração do evento, que contou com palestra do diretor de Assuntos Institucionais do Instituto de Tecnologia de Alimentos (Ital), Luis Madi, sobre a qualidade dos produtos alimentícios brasileiros.

Na oportunidade, Madi apresentou a importante posição do Brasil como exportador de produtos agrícolas primários e processados, o faturamento da indústria de alimentos e bebidas, a competitividade no contexto global e a necessidade de iniciativas de governança, pesquisa, desenvolvimento e inovação (PD&I), sistema regulatório, infraestrutura, recursos humanos e fortalecimento da imagem para que o Brasil seja considerado não somente celeiro do mundo como supermercado do mundo.

Também foram abordadas as cinco macrotendências de consumo – sensorialidade e prazer, saudabilidade e bem-estar, conveniência e praticidade, qualidade e confiabilidade, sustentabilidade e ética – com base no Brasil Food Trends 2020, documento publicado em 2010 em parceria com a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), a Associação Paulista de Supermercados (Apas) e outras entidades setoriais. O trabalho desencadeou uma série de estudos estratégicos e de tendências, dando origem à Série Ital Brasil Trends 2020, e atualmente está sendo desenvolvido o Projeto Alimentos Industrializados 2030 – os documentos já publicados podem ser consultados através do site www.alimentosprocessados.com.br, criado com o objetivo de levar à sociedade conhecimento sobre ciência e tecnologia de alimentos, desmitificando os produtos alimentícios.

Para Madi, as macrotendências que começaram a ser levantadas em 2008 continuarão sendo estratégicas até 2030, sendo que em 2010 a conveniência e praticidade ganhava destaque, diante da falta de tempo alegada pelos consumidores, e hoje a saudabilidade e bem-estar tem maior relevância. “Nós vamos ver que o mundo estará questionando cada vez mais sobre sustentabilidade e ética”, ressaltou em relação às perspectivas ao longo da próxima década.

“O Ital mostra o quanto a indústria brasileira de alimentos e bebidas está se desenvolvendo em termos de tecnologia para fabricação de produtos processados, tecnologia de porcionamento em embalagens mais adequadas ao consumidor e essas embalagens também com tecnologia para suportar o tempo de validade”, afirmou o superintendente da Associação Paulista de Supermercados (Apas), Carlos Corrêa.

A programação do International Business Meeting Apas incluiu também apresentações do economista-chefe do Banco do Brasil, Ronaldo Távora, do coordenador de Inteligência de Mercado da Apex-Brasil, Igor Celeste, e da chefe da Divisão de Promoção e Agronegócio do Ministério de Relações Exteriores, Camila Leão.

 

A feira

A tecnologia no segmento supermercadista foi destaque na 35ª edição da Apas Show, que teve como tema “Super Hack – Hakeando o Supermercado” e ocupou cinco pavilhões do Expo Center Norte, em São Paulo, um pavilhão a mais em relação ao ano passado. Ao longo do Congresso de Gestão Internacional foram ministradas mais de 70 palestras com o objetivo de despertar a inovação nos participantes.

“Procuramos encontrar as maneiras pelas quais podemos implantar a tecnologia nos supermercados, para que o momento de compra ocorra com mais informação, de modo mais rápido e prazeroso”, ressaltou Erlon Ortega, vice-presidente da APAS e diretor do evento, que promete uma próxima edição ainda maior.

“Considerando a dimensão e a variedade dos produtos expostos, recomendamos a visitação como forma de atualização em relação à área de alimentos”, afirmou a diretora geral do Ital, Eloísa Garcia, que marcou presença no evento ao lado do vice-diretor, Airton Vialta, e do coordenador da Plataforma de Inovação Tecnológica (PITec), Raul Amaral. Também acompanharam as novidades representantes dos centros de tecnologia de Cereais e Chocolate (Cereal Chocotec), Frutas e Hortaliças (Fruthotec) e Embalagem (Cetea), e do Centro de Ciência e Qualidade de Alimentos (CCQA).